O homem deveria ouvir um pouco de boa música, ler uma pequena poesia e contemplar uma bela pintura cada dia de sua vida a fim de que os valores do mundo não apaguem o sentido da beleza implantada por Deus em nossas almas. "Goethe"






_____________________________________________

MIL MASCARAS




•Acredito que“ O Valor terapêutico da atividade artística está tanto no processo de criação quanto nas possíveis reflexões e elaborações posteriores sobre os trabalhos realizados.” ( Ciornai, 2004,p.29)














Que sejam mil mascaras...
Que sejam obsessivas e compulsivas enquanto for necessário...

Aqui , que bom que ele pode se expressar inúmeras vezes , pintando de todas as cores o seu mundo interno...

Que bom, que ele pode experimentar e se colocar, imaginar , brincar e se fantasiar, representar ou vivenciar um personagem, e que personagem ele representava???

Pena que isso não deu tempo para ser trabalhado, investigado profundamente...
Pena que não compreenderam, não respeitaram uma visão diferente de se trabalhar com esse aluno, que era trabalhar com criatividade, auto-expressão,exteriorização de sentimentos e emoções, alegria e liberdade de se colocar não verbalmente.
De certa maneira, as mascaras eram uma forma de fazê-lo entender ou pelo menos exteriorizar aquilo que o dilacerava e de uma forma inconsciente isso poderia ser resolvido ou amenizado ou simplesmente uma maneira de conhecer as problematicas internas deste... Segundo a arteterapia Junguiana.

Essas mascaras representam simbolicamente um poder de cura, proteção, busca de identidade, a representação de seu mundo psíquico...
Esse menino levava interminaveis surras na cara de seus avós...Seria essas mascaras uma proteção ou cura para suas dores ou simplesmente uma forma de buscar uma idntidade ???
Que sejam milhões de mascaras para resgata-lo de seu mundo incompreendido e fragmentado...

Que seja o tempo que ele precisa e necessita, afinal de contas cada um tem seu tempo...
Eu estava lá para isto...

Trabalho desenvolvido com adolescente com necessidades especiais, APAE Gramado- 2008

Nenhum comentário: